Home > Nossa Doutrina

Nossa Doutrina

DOUTRINAS DA IGREJA DE DEUS EM CRISTO

A Bíblia

Nós acreditamos que a bíblia é palavra de Deus e contém um suficiente, harmonioso e completo sistema de doutrina. Nós acreditamos na completa inspiração da palavra de Deus. Nós declaramos que a palavra de Deus é a única autoridade em todos os assuntos e afirmamos que nenhuma outra doutrina pode ser verdadeira  ou essencial se isso não for encontrado em algum lugar nesta Palavra.

O Pai

Nós acreditamos em Deus como Pai todo poderoso, o autor e criador de todas as coisas. O Antigo Testamento revela Deus em diferentes maneiras, através da manifestação da sua natureza, caráter, e domínio. O Evangelho no Novo Testamento nos dá o conhecimento de Deus “Pai” ou “Meu Pai”, mostrando a relação de Deus e Filho como Pai, ou O representando como Pai como o primeiro na Trindade, e Jesus como Filho (S.João 15:8; 14:20). Jesus também dá a Deus a distinção de “Paternidade” para todos os que crêem, quando Ele explica Deus na luz de “Seu Pai” ou “Seu Pai no céu” (S.Mateus 11:25).

O Filho

Nós acreditamos que Jesus Cristo é o Filho de Deus, a segunda pessoa na Trindade ou Trino Deus. Nós acreditamos que Jesus foi e é Eterno na Sua pessoa e natureza como o Filho de Deus que estava com Deus no inicio da criação (S.João 1:1). Nós acreditamos que Jesus Cristo nasceu da virgem chamada Maria de acordo com as escrituras (Mateus 1:18), assim nos dando a certeza da nossa fé fundamental no nascimento de uma virgem e para todos os eventos miraculosos surgidos desse fenômeno (S.Mateus 1:18-25). Nós acreditamos que Jesus Cristo tornou-se o “Servo Sofredor” para o homem; este sofrimento de servo veio trazer a remissão do pecado ao homem e reconciliá-lo de novo ao Pai, Seu Pai (Romanos 5:10). Nós acreditamos que Jesus Cristo está de pé agora como mediador entre Deus e o homem (1 Timóteo 2:5).

O Espírito Santo

Nós acreditamos que Espírito Santo seja a terceira pessoa na Trindade, depois do Pai e do Filho, e tem a mesma essência, igual no poder e glória e está junto com o Pai e com o Filho, acreditamos, obedecemos e o adoramos. O Espírito Santo é um presente enviado para todos no propósito de capacitar e dar autoridade ao que crê, fazendo-o uma testemunha efetiva para o serviço no mundo. Ele ensina e guia a todos na verdade (S.João 16:13; Atos 1:8; 8:39).

O Batismo Do Espírito Santo

Nós acreditamos que o batismo do Espírito Santo é uma experiência subseqüente à conversão e santificação; e que falar em línguas é uma conseqüência do batismo no Espírito Santo, com a manifestação dos frutos do Espírito (Gálatas 5:22, 23; Atos 10:46; 19:1-6). Nós acreditamos que nós não somos batizados no Espírito Santo para sermos salvos, mas somos batizados com o Espírito Santo porque somos salvos (Atos 19:1-6; S.João 3:5). Quando uma pessoa recebe a experiência do batismo com o Espírito Santo, acreditamos que ela falará em línguas estranhas de acordo com a soberana vontade de Cristo. Ser cheio com o Espírito Santo significa ser controlado espiritualmente como expressa Paulo em Efésios 5:18-19. Desde que a demonstração carismática foi necessária para auxiliar a igreja primitiva atingir o sucesso e implementar o comando de Cristo, desta forma, acreditamos que é indispensável à experiência no Espírito Santo para todos os homens hoje.

O Homem

Nós acreditamos que o homem foi criado santo por Deus, composto de corpo e alma. Nós acreditamos que o homem, pela sua natureza, é pecador e não é santo. Nascido no pecado ele precisa nascer outra vez, santificado e lavado de todos os pecadores através do sangue de Jesus. Nós acreditamos que o homem é salvo pela confissão e pela renuncia do seu pecado, e acreditando no Senhor Jesus Cristo, e se tornando um filho de Deus, através do novo nascimento e adoção na família de Deus ele pode e deve clamar pela hereditariedade do Filho de Deus, chamado batismo do Espírito Santo.

O Pecado

Pecado, a bíblia ensina, começou no mundo dos anjos (Ezequiel 28:11-19; Isaias 14:12-20). Ele é transmitido no sangue da raça humana através da desobediência e decadência motivada pela falta de fé         (I Timóteo 2:14). O Pecado de Adão cometido por ter comido o fruto proibido da árvore do conhecimento do bem o do mal, os levou a uma poluição permanente ou uma depravação da natureza humana para uma total decadência. Esse é o chamado “Pecado Original”. O pecado agora pode ser definido como uma transgressão voluntária contra Deus e uma carência de estar conforme a vontade de Deus. Nós, todavia, concluimos que o homem por natureza é pecador e ele caiu do estado de glória e justiça no qual ele foi criado, e se tornou ímpio. O Homem, entretanto, deve ser restaurado ao seu estado de santidade da qual ele tem se tornado depois de seu novo nascimento (S. João 3:7).

A Salvação

A salvação trata da aplicação no  trabalho de redenção ao pecador através da sua restauração no divino favor e comunhão com Deus. Essa operação redentora do Espírito Santo sob os pecadores foi trazida através do arrependimento a Deus e a fé através do nosso Senhor Jesus Cristo o qual trazem a conversão, fé, justificação, regeneração, santificação e o batismo do Espírito Santo. Arrependimento é o trabalho de Deus no qual resulta na mudança de mente a respeito do relacionamento do homem e Deus (S.Mateus 3:1, 24:17; Atos 20:21). Fé é a certeza convicta no coração dada pelo Espírito Santo, uma verdade do evangelho revelada através das promessas de Deus em Cristo (Romanos 1:17, 3:28; S. Mateus 9:22; Atos 26:18). Conversão é uma ação de Deus que causa a regeneração do pecador, e conscientemente o faz voltar-se para Deus em arrependimento e fé (II Reis 5:15; II Crônicas 33:12-13; S. Lucas 19:8-9; Atos 8:30). Regeneração é a ação de Deus no qual o príncipio de uma nova vida é implantada no homem e a direção da alma é feita santa e é o primeiro exercício para que a nova disposição seja segura. Santificação é a graça e a operação contínua do Espírito Santo, na qual ele liberta e justifica o pecador da poluição do pecado, renova a sua total natureza na semelhança de Deus e o possibilita a realizar o bom trabalho para Ele (Romanos 6:4-6; Colossensses 2:12, 3:1).

Os Anjos

A bíblia usa o termo “Anjo” (um corpo celestial) claramente e originalmente denotados como mensageiros ou embaixadores de Deus com referências bíblicas, tais como em Apocalipse 4:5 no qual indica suas tarefas no céu para louvar a Deus; para fazer a vontade de Deus (Salmos 3:20) e estar na presença de Deus (S. Mateus 18:10). Mas desde que o céu teve que descer a terra, eles também têm uma missão na terra. A bíblia indica que eles acompanharam Deus na criação, e eles também deverão acompanhar Cristo no seu retorno à glória.

Demônios

Demônios denotam como sujos ou espíritos malígno, algumas vezes eles são chamados de malígnos ou seres demoníacos. Eles são espíritos malígnos, pertencentes ao mundo invisível ou reino espiritual, incorporados em seres humanos. O Antigo Testamento refere-se ao príncipe dos Demônios, às vezes chamado Satã (Adversário) ou Malígno como tendo poder ou sabedoria, tomando habitação em outras formas, tal como serpente (Gêneses 3:1). O Novo Testamento fala do Malígno como uma Tentação (S.Mateus 4:3) isso nos diz que o trabalho de Satã, o Malígno, e os Demônios estão combatendo  direito  a bondade em todas as formas, aprovando ser um adversário dos santos. O seu principal poder é exercitado para destruir a missão de Jesus Cristo, isso também pode ser dito que a igreja cristã acredita em Demônios, Satã e no Malígno. Nós acreditamos no seu poder e no seu propósito. Nós acreditamos que eles podem ser dominados e vencidos assim como é dado no mandamento a todos os que crêem em Jesus, “em meu nome eles expulsarão demônios, resistirão ao Diabo e ele fugirá de vós” (S. Marcos 16:17).

A Igreja

A igreja forma uma unidade espiritual na qual Cristo é a cabeça divina. Este corpo é avivado por um espírito, o Espírito de Cristo e isto professa uma fé, compartilha a nossa esperança e serve a um rei. Ela é a guardiã da verdade e a agência de Deus para divulgar aos que crêem todas as bênçãos espirituais. Então a Igreja é o objeto da nossa fé , não só do conhecimento. O nome da nossa Igreja “Igreja de Deus em Cristo”, é fundamentada pela passagem em  I Tessalonicenses 2:14 ,e outras passagens na epístola de Paulo. A palavra Igreja foi a primeira aplicada pela sociedade cristã por Jesus Cristo em S. Marcos 16:18.

A Segunda Vinda de Cristo

Nós acreditamos na segunda vinda de Cristo, que ele virá do céu na terra, pessoalmente, em corpo, visível (Atos 1:11; Tito 2:11-13; S.Mateus 16:27, 24:30, 25:30; S.Lucas 21:27; S.João 1:14-17), e que a igreja, a noiva, será levada com Ele nos ares (I Tessalonicenses 4:16-17). Nós admoestamos a todos que tiverem essa esperança para purificar-se como ele é puro.

Cura Divina

A igreja de Deus em Cristo acredita e pratica a cura divina. Esse é um dos mandamentos de Jesus aos Apóstolos (S.Marcos 16:18). Jesus afirma em seus ensinamentos sobre a cura através dos seus sermões aos seus discípulos, que vieram a ser os apóstolos, que a cura do aflito é pela sua fé (S. Lucas 9:40-41). Todavia nós acreditamos que a cura pela fé em Deus está alicerçada nas escrituras e ordenada em autoridade. Tiago escreve em suas epístolas encorajando os anciões a orarem pelos doentes com imposição de mãos e a ungí-los com óleo, e que sua oração com fé curariam os doentes, e o Senhor os levantaria. A cura ainda é praticada abrangentemente e freqüentemente na Igreja de Deus em Cristo, e os testemunhos de cura em nossas igrejas comprovam este fato.

Milagres

A igreja de Deus em Cristo acredita que milagres acontecem para convencer os homens que a Bíblia é a palavra de Deus. Um milagre pode ser definido como uma ação visível  e extraordinária do poder de Deus realizada pela eficiente vontade de Deus, a qual tem suas finalidades na vindicação e na justiça da palavra de Deus. Nós acreditamos que o trabalho de Deus, no qual foi realizado durante o inicio do Cristianismo faz e ocorrerá ainda mais hoje aonde Deus é pregado, a fé exercitada e o Espírito Santo é ativo, e o evangelho é propagado como a verdade ( Atos 5:15, 6:8,9:40;S.Lucas 4:36,7:14-15,5:5-6;S.Marcos 14:15).

Ordenanças da Igreja

É geralmente admitido que para uma ordenança ser válida ela deve ter sido instituída por Cristo. Quando nós falamos de ordenanças da igreja, nós falamos das que foram instituídas por Cristo, dada por sinais sensíveis da graça de Deus em Cristo, e os benefícios do pacto da graça que estão representados, selados e aplicados aos que crêem, e estas trazem a expressão de sua fé e a aliança de Deus. A igreja de Deus em Cristo, então reconhece apenas 3 ordenanças sendo instituídas por Cristo, desta forma é dada e praticada na igreja:

A Ceia do  Senhor (Santa Ceia)

A ceia do Senhor simboliza a sua morte e sofrimento em benefício do Seu povo. Ela também simboliza aos que crêem na participação da crucificação de Cristo. Ela representa a morte de Cristo como um objeto de fé que une os crentes em Cristo, mas também efetua o seu ato de dar a sua vida, força, e alegria à alma. A declaração de fé entra em uma especial união espiritual da alma com a glória de Cristo.

Lavapés

O lavapés é praticado e reconhecido como uma ordenança em nossa igreja porque Cristo por Seu exemplo, mostrou sua humildade caracterizada pela grandeza do reino de Deus, e que esse serviço, rendido a outros evidencia que a humildade, motivada pelo amor, existe. Esses serviços são mantidos na seqüência da Santa Ceia, contudo, é regularmente deixado para determinação do pastor da igreja.

Batismo nas águas

Nós acreditamos que o batismo nas águas é necessário como ensinado por Cristo em S. João 3:5 (“a menos que o homem seja nascido outra vez das águas e do Espírito…”). Entretanto, nós não acreditamos que o batismo nas águas por si mesmo traduz a salvação, mas por outro lado demonstra que este tem sido dado como uma experiência de conversão e quem tem aceitado a Cristo como seu Salvador pessoal. Como Pentecostais, nós praticamos o batismo de imersão em preferência a aspersão, porque imersão corresponde mais perto da morte, enterro, e ressurreição do nosso Senhor. (Colossenses 2:12). Ele também simboliza a regeneração e purificação mais do que as outras formas. Por isso, nós praticamos a imersão como nossa forma de batismo.

Fórmula de Batismo

Nós acreditamos que devemos usar a fórmula dada por Cristo para todos os batismos – “…No nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo…” (S. Mateus 28:19)